Kinloch Cian

Na coluna chamada “O cão” de nosso site, não poderíamos deixar de contar a história do Kinlosh Cian, cão importado da Escócia, que trouxe muita genética para atuais cães do Brasil.

Tudo começou com o Adão, proprietário do Canil Avaré BC, na busca de importar um cão de excelência para o Brasil. Inicialmente ele começou a buscar cães nos Estados Unidos, e encontrou um site chamado Kinloch Sheepdogs, muito conhecido no reino unido e bem estruturado. Foi aí onde o mesmo iniciou a conversa com a Angie Driscoll, proprietária do canil Kinloch Sheepdogs, e formou uma amizade. Angie, por sua vez, estava treinando e aprendendo com o Bobby Dalziel, proprietário do Jamie, pai do Kinloch Cian. Foi então que nasceu os filhotes da Meg, mãe do Cian e de propriedade da Angie, com o Jamie do Bobby. Na época ela treinava muito com os cães na casa do Bobby, que declarou que tinha muito interesse em ficar com Cian, já que o mesmo apresentava muitas habilidades, e comentou com ela que caso quisesse vende-lo, ele ficaria com o cão. Porém, na época a Angie já estava muito amiga do Adão, foi quando surgiu a oportunidade do mesmo adquiri-lo. Naquela época existia muita resistência do pessoal do reino unido em vender os cães para fora, pois alegavam que a genética seria perdida no meio do caminho e os cães “desapareciam” do cenário do pastoreio.

Em meio a tantas dificuldades, Adão conseguiu convencer a Angie a vender Cian. Porém, demorou um tempo para que ele viesse ao Brasil, neste período ela se arrependeu do negócio devido sua evolução e chegou a conversar com Adão, mas ele conseguiu convence-la que seria muito bom para o Brasil. 

Rogério Figueiredo, atual sócio do Canil Avaré, comentou que o valor aproximado do cão naquela época foi de 5.000 a 7.000 libras, o que se aproxima de R$25.000,00 a R$30.000,00 reais.

Kinloch Cian teve seu inicio de treinamento pela Angie, mas quando chegou ao Brasil em 2010, quem deu segmento a seus treinamentos foi Fernando Loiola, atualmente treinador e competidor nos EUA, que na época morava em Avaré/SP e pelo Jorge Ferreira, também competidor e treinador.  Foi aí que começou a ganhar grandes títulos e mostrar todo seu potencial em provas e suas particularidades que o diferenciava dos cães que estavam no Brasil. Dentre os títulos que obteve, foi campeão Brasileiro com rebanho ovinos e bovinos na categoria Ranch em 2010 e em 2011 ficou em terceiro colocado no brasileiro de gado na categoria máxima.

Cian chegou em uma época no Brasil, em que os competidores e criadores do Border Collie de pastoreio, estavam procurando cães diferentes, pois neste mesmo período, teria sido importando cães Cattle Dog e sendo usados para reprodução, porém não se via grandes melhoramentos genéticos. As linhagem antigas já estavam bem fixadas no Brasil mas o pessoal estava querendo ver algo novo. Foi aí que o Cian chegou e acabou assustando a turma, no lado positivo da palavra. Se mostrava muito diferenciado de todo resto, muito rápido, bem treinado e com muita pressão, foi quando começou uma procura muito grande para coberturas de cadelas. Foi tanta procura que em média de três anos, entre 2010 e 2013 ele deve ter cruzado com 30 cadelas, atualmente o número de cruzamentos ultrapassa dos 70 em sua totalidade.

Trás em seu pedigree, renomados criadores do Reino Unido tais como Derek Scrimgeour da Inglaterra, varias vezes Campeão inglês, Con McGarry da Irlanda, muito famoso nas provas de brace que consiste em fazer a prova com dois cães e Rob Dalziel da Escócia.
Jamie, Pai de Kinloch Cian, quando era ainda do campeão “Supreme” Bobby Dalziel, ganhou mais de 28 provas de open pelo Reino Unido e vários países da Europa. Em maio de 2009 foi comprado por Angie Driscoll. Tem produzido bons filhos que foram exportados para vários lugares do mundo, entre eles Kinloch Cian.

Meg, mãe de Kinloch Cian, descende dos cães de Derek Scrimgeour, ganhou sua primeira prova de open com apenas 2 anos de idade, foi numa alta montanha da Escócia na propriedade de Bobby Dalziel vencendo nada menos que campeões renomados do mundial e de supreme, entre eles Bobby Dalziel Joe(campeão supreme 2006). Meg tem boas qualidades, como boas corridas, move qualquer tipo de ovelha, esta com a atenção sempre no rebanho, move somente o corpo, qualidades estas que foram transmitidas para Cian. Tem dado bons resultados na reprodução, dando bons filhos que estão trabalhando em várias fazendas e alguns com bons resultados nas pistas do Reino Unido e vários países da Europa.

Cian ainda está vivo, porém está aposentado do trabalho devido sua idade. Já está com dificuldades para fazer coberturas e atualmente só é feito com inseminação artificial. 

Nós do Portal do Pastoreio, gostaríamos de agradecer imensamente ao Rogério Figueiredo por nos ter concedido todas essas informações e a entrevista feita com o mesmo. E também ao Adão por ter trazido essa grande marco para o pastoreio brasileiro que é o Kinloch Cian.

Segue algumas imagens:

 

 

Compartilhe com os amigos:

2 comentários em “Kinloch Cian

  • 14 de novembro de 2018 em 21:32
    Permalink

    Che ,meus parabéns ,estou trabalhando com Border a menos de 1 ano e montando um pequeno plantel,todos descendentes do Cian (fêmeas Pepper) 1 macho Diesel e recentemente introduzi um macho (Ladx Lach) por ser de pelo baixo,e suas reportagens estão me trazendo muitos esclarecimentos.
    Grato de verdade

    Resposta
    • 15 de novembro de 2018 em 00:24
      Permalink

      Boa noite Marco. Muito obrigado pelo comentário, fico muito feliz por estar ajudando. Este é o objetivo do portal. Continue nos acompanhando por aqui e pelas redes sociais. Abraço !

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *